Entre tantos nomes e siglas que o estudante escuta ao longo da sua preparação para o Enem, está a TRI. Mas qual o significado dessas três letrinhas? Trata-se da ‘Teoria de Resposta ao Item’, sistema adotado pelo Inep para corrigir e classificar a pontuação das questões do exame.

O método é usado para calcular a pontuação dada a cada questão da prova, um processo que atribui diferentes pesos a cada pergunta e que calcula a pontuação de cada questão de acordo com o nível de dificuldade. Ou seja, questões mais fáceis comumente terão valores de pontuação menores e questões mais difíceis, maiores.

Agora você pergunta; mas como o Inep determina o nível de dificuldade de cada questão? Então, a TRI funciona de acordo com o percentual de erros e acertos dos candidatos em cada questão da prova. Aquele item que for acertado por muitos candidatos é considerado fácil e, portanto, vale menos pontos. Ou seja, este processo só acontece durante a correção dos cartões-reposta do Enem.

Dessa forma o cálculo da nota do aluno não é apenas a quantidade de acertos. A quantidade de acertos pesa, mas na verdade é a quantidade do tipo de item que o aluno acertou que faz a diferença.

A grande “vantagem” é que esse método de correção busca o equilíbrio entre aquilo que teria sido um acerto por um chute e um erro por um descuido, o que beneficia o aluno que chegou ao Enem mais bem preparado, e não aquele que teve sorte chutando as respostas das questões.

Portanto a TRI é mais um motivo para você, candidato, procurar sempre a melhor forma de se preparar para o exame.

No Oficina Turbo estamos atentos a essa necessidade e por isso, temos simulados com correção pela TRI.

Assim você já pode se familiarizar com o método. Uma boa preparação para a prova, uma leitura calma e concentrada das questões e uma reflexão consistente na hora de respondê-las é fundamental para obter um bom resultado.

Ah, e o professor Rodrigo fez questão de resumir essa explicação pra gente. Olha só: